maionese Tag

  • Todos
  • Alertas
  • Clipping
  • Enquete
  • Imagens
  • Informativos
  • Khortpot
  • News
  • Oportunidade
  • Patente Internacional
  • Representante
  • Sem categoria
  • Uncategorized
  • Utilização
  • Videos

Só ter a idéia não vale nada!

Matéria no caderno Boa Chance do jornal O Globo de 08/01/2012.

Perfil: Leopoldo Almeida – clique na imagem para aumentar tamanho.

Transcrição:
Maíra Amorim – maira.amorim@oglobo.com.br

PERFIL • LEOPOLDO ALMEIDA, Criador do Khort
Só ter a ideia não vale nada’ Empreendedor que criou abridor de sachês diz que o difícil é tornar o projeto viável
O Globo 08 de janeiro de 2012

O ano era 2007. Leopoldo Aquino, então desempregado, entrou em uma lanchonete e pediu um sanduíche. Ao ser servido, reparou que os sachês de ketchup e mostarda tinham sido cortados com uma tesoura. Foi quando aconteceu o estalo: por que não criar um produto para abrir essas embalagens com mais facilidade?
Nascia o projeto do abridor de sachês Khort, que, hoje, vende uma média de 40 mil unidades por mês no Brasil e cerca de quatro mil nos Estados Unidos, mercado no qual Aquino está investindo pesado desde que ganhou o prêmio de Melhor Invento das Américas, na “Invention and New Products Exposition”, em 2010.
Na segunda quinzena de dezembro, estrearam os comerciais do Khort em território americano, com 500 inserções de três minutos em três grandes redes e sete cidades — Nova York, Nova Jersey, Dallas, Tampa, Detroit, Chicago e Los Angeles
— Vai funcionar como um teste. Vou ver onde deu mais retorno,

Contaminação nas embalagens externas dos sachês – Bactérias, fungos e coliformes fecais

Clique na imagem para download do estudo na sua íntegra.

O Laboratório de Microbiologia de Alimentos da UFRJ analisou, em recente pesquisa, um abridor de sachês e a segurança microbiológica das embalagens plásticas descartáveis que conservam ketchup, mostarda, maionese, entre outros.

Foram detectados na área externa dos invólucros, numa amostragem de 285 unidades retiradas dos balcões de bares e lanchonetes do Rio de Janeiro, que mais de 70% apresentaram contaminação por fungos, 82% por bactérias e 66% por estafilococos, um tipo de bactéria muito resistente. Em mais de 10% desses foram encontrados coliformes fecais. São dados alarmantes para o consumidor, pois esses micro-organismos podem causar infecção intestinal, vômitos e diarréia.

Exemplos de aplicação

[caption id="attachment_38" align="aligncenter" width="320" caption="simples assim!"][/caption] [caption id="attachment_39" align="aligncenter" width="450" caption="Diversas aplicações"][/caption]...

Leia mais